Monte Aconcagua, O Colosso de América, tão frio e tão especial, tão áspero e tão sonhado. É justamente pelo seu clima que é comparado com os oito mil do Himalaia. A escassa umidade, as baixas percentagens de oxigênio e os fortes ventos são só algumas das características mais destacadas do clima deste cerro. Os principais causadores de temporais e os encarregados do mau clima são fundamentalmente os ventos úmidos expulsados pelo Anticiclone do Pacífico, que correm para o Sul e se elevam para o Oeste chocando contra a massa montanhosa da Cordilheira, esfriando-se e onde sua umidade se torna neve nos altos cumes dos Andes.

No Monte Aconcágua se encontram não só temporais de neve e vento, mas também pela sua localização geográfica as tormentas mais temidas são as elétricas. As cristas da montanha (o setor Noroeste e o cume) são os lugares mais visitados pelas faíscas elétricas (raios) dificultando a estadia e ascensão.

No Monte Aconcagua sopram fortes ventos do Oeste (a mais de 5.500 m.s.n.m.) que junto ao grande tamanho do cerro formam o imenso e famoso cogumelo. O mesmo está localizado na parte superior do Monte Aconcágua e pode ser apreciado desde Plaza de Mulas, criando uma formosa paisagem e um terrível prognóstico negativo de fortes ventos e precipitações em altura. Aproximar-se ou se introduzir nesses momentos seria mortal. Quando se aproxima é aconselhável abandonar a parte superior da montanha.

Ainda com bom tempo (em verão) se registram pela noite sobre os 5.000 m.s.n.m. temperaturas de -20° C (-0,4º F). No cume a temperatura comum é de -30° C (-22º F).